Um astronauta usando um laptop

Produtividade

O trabalho remoto é para você?

Reading Time: 5 minutes

Se você quer ser um profissional remoto, talvez precise convencer seu chefe. Daniel Mobbs conta quais habilidades são necessárias, tais como gestão eficaz do tempo e confiança na comunicação

 

Embora o trabalho remoto seja cada vez mais popular, nem todos são naturalmente aptos para trabalhar remotamente. Enquanto alguns estão preparados para ir além do ambiente de escritório, outros podem falhar por não terem planos e estratégias para uma nova forma de trabalhar. “Os candidatos devem ser honestos sobre suas habilidades para lidar com o aumento de responsabilidades e expectativas que vêm com o trabalho remoto”, diz Anthony Curlo, CEO da empresa de recrutamento de TI e aprimoramento de pessoal DaVinciTek(1).

A boa notícia é que essas habilidades e estratégias podem ser aprendidas e desenvolvidas por praticamente qualquer pessoa. Se analisarmos profissionais remotos de sucesso, veremos as mesmas características se repetindo. Então, se você estiver tentando convencer seu chefe (ou a si mesmo) de que o trabalho remoto funciona para você, comece se perguntando honestamente quantas das características abaixo você tem em comum com seus colegas que trabalham remotamente.

1. Profissionais remotos são excelentes gestores de tempo

Não é porque você trabalha remotamente que pode fazer as coisas no tempo que quiser. Seu chefe vai querer saber que você gerencia o tempo da melhor forma mais possível. "O objetivo é mostrar que você é tão ágil, produtivo e eficaz quanto no escritório", diz Emma Sue Prince, autora do guia sobre espaço de trabalho, The Advantage.

Ela recomenda reservar tempo no início de cada semana para planejar suas prioridades e calcular quanto tempo cada tarefa levará. "Durante a semana, acompanhe o progresso de cada objetivo, para se conscientizar", diz. "Ou melhor, transforme seu planejamento semanal em planejamento diário e divida seu tempo em blocos para se concentrar em tarefas específicas."

Tobias van Schneider, designer freelancer que trabalha remotamente em Nova York, recomenda(2) usar um aplicativo de monitoramento de tempo, como o Toggl(3), que registra o tempo gasto em cada tarefa e envia lembretes regularmente para você lembrar de monitorar seu tempo, assim você tem o controle da situação. "Quer você cobre por hora ou serviço, monitorar o tempo é vantajoso, pois deixa você mais ciente de como gasta seu dia", diz ele.

2. Eles definem limites claros entre trabalho e lazer

Embora alguns estudos mostrem(4) que os profissionais remotos podem acabar trabalhando até 75 horas semanais (com dias mais longos que os colegas que trabalham no escritório), trabalhar remotamente não deve ser sinônimos de trabalhar o tempo todo. Alguns chefes podem achar que um funcionário que está disponível o tempo todo é algo positivo para os negócios, mas os chefes mais sensatos interpretam isso da maneira correta: uma receita para exaustão e insatisfação.

"É comum que funcionários remotos que amam o que fazem continuem trabalhando ininterruptamente", diz Chris Dyer, autor do livro The Power of Company Culture. "Mas é preciso criar limites para parar de trabalhar e se desconectar, evitando o desgaste e a frustração. Saber quando fazer pausas mantém os profissionais remotos focados nas tarefas, contribuindo para seu potencial máximo."

Os profissionais remotos de sucesso deixam claro para os colegas qual é seu horário de expediente e as melhores formas de entrar em contato, seja pelo Slack, Skype, e-mail ou telefone. Eles também comunicam quando precisam se ausentar do computador durante este horário, e (o que é mais importante) quando se desconectam ao final do dia.

3. Eles são comunicadores conscientes

"A comunicação é fundamental para os profissionais remotos, mas ela não acontece sozinha", diz Susana Rowles, diretora comercial da Target Internet, empresa que contrata somente funcionários remotos. "Não é porque não vemos alguém pessoalmente que não podemos criar um relacionamento com conexão de verdade. Reserve tempo diariamente para conversar com seus colegas e faça dessa prática parte de sua mentalidade de trabalho."

Em um artigo para a Harvard Business Review(5), Erica Dhawan e Tomas Chamorro-Premuzic alertam para a confusão entre comunicações breves e comunicações claras. "Em nosso esforço para sermos eficazes, às vezes usamos menos palavras para nos comunicar", diz Dhawan. "Mas esta concisão pode fazer com que o restante da equipe perca tempo tentando interpretar suas mensagens (e, no fim das contas, interpretá-la mal)."

"Não presuma que os outros entenderam seus sinais e suas abreviações", completa Chamorro-Premuzic. "Dedique tempo se esforçando para ser claro, independentemente do meio de comunicação".

A dupla também recomenda a implementação de normas de comunicação para sua equipe interna, a fim de estabelecer maior clareza. Eles citam empresas como a Merck, que criou acrônimos para seus comunicados digitais – como "Four Hour Response (4HR – Resposta dentro de quatro horas)" e "No Need to Respond (NNTR – Sem necessidade de responder)" – que garantem previsibilidade e certeza nas conversas virtuais.

"Também podem ser criadas normas individuais; por exemplo, normas sobre o tempo de resposta preferencial de uma pessoa, seu estilo e tom de escrita", diz Dhawan. "Algumas pessoas gostam de mensagens curtas e rápidas, enquanto outras preferem respostas mais detalhadas e longas. As pessoas também têm diferentes preferências e tolerâncias com relação ao humor e à informalidade."

Duas pessoas com balões de diálogos acima de suas cabeças

Os especialistas recomendam dedicar tempo tentando ser claro, independentemente do meio de comunicação

 

4. Eles sabem usar tecnologias

Caso você esteja pensando em trabalhar remotamente, saber usar tecnologias é fundamental, diz Anna Johansson, que escreve para a Entrepreneur(6): "A última coisa que você quer é lidar com funcionários remotos que ocupam sua equipe de TI com questões simples, que não deveriam ser um problema."

Seu chefe provavelmente imagina que você sabe usar a nuvem, plataformas de videoconferência e serviços de envio de mensagens empresariais, como Slack, mas isso não significa que você deve se acomodar. "É importante mostrar que você está disposto a aprender e se adaptar, talvez isso seja até mais importante do que demonstrar habilidades perfeitas de organização", diz Tom Livingstone, diretor de marketing da agência de recrutamento Talentful.

Esteja sempre atualizado com as tecnologias mais recentes de trabalho remoto, e não tenha medo de fazer sugestões ao seu chefe se você encontrar uma maneira de usar a tecnologia para agilizar um processo. Deepina Kapila, gerente de produtos da Visa(7), recomenda o YouTube Live(8), caso você precise gravar um vídeo rapidamente ou realizar uma transmissão ao vivo ou uma sessão de treinamento de equipe. "É a alternativa ao Google Hangouts para fazer transmissões mundiais", diz ela.

"Se você estiver gerenciando uma equipe remota e quiser ter uma noção dos níveis de satisfação da equipe, experimente o Chimp or Champ(9)", acrescenta. "Este medidor anônimo da satisfação dos funcionários é uma ferramenta rápida, criada para fazer exatamente isso, permitindo que as equipes deem suas opiniões, assim como nas antigas caixas de sugestões."

5. Eles mantêm contato

Uma das maiores preocupações dos novos profissionais remotos é que eles se tornarão vítimas da máxima "quem não é visto, não é lembrado". Um estudo recente(10) com 1.100 funcionários mostrou que os profissionais remotos se sentem frequentemente preteridos e excluídos. Afinal, se o seu chefe não o vê, como você pode ser promovido ou receber uma nova oportunidade?

Por outro lado, profissionais remotos de sucesso sabem que podem fazer algo para se sentirem incluídos e serem notados. "É essencial ter confiança e proatividade", diz Tom Livingstone. "Uma mensagem de tempos em tempos, antes que sejam solicitadas, para informar alguém sobre o progresso de um projeto e sobre ideias faz uma grande diferença."

A chave é demonstrar iniciativa e entusiasmo por sua função sempre que possível. Você pode fazer isso contando ao chefe sobre sua vontade de assumir funções de liderança em projetos, dando novas ideias nas reuniões ou compartilhando os comentários positivos de seus clientes com seu chefe de vez em quando.

Encontre maneiras de se fazer "presente" aos olhos de seu chefe. Você pode fazer isso usando um sistema de gestão de projetos, como o Basecamp(11), que permite discutir ideias ativamente e compartilhar com seus colegas o que você está fazendo no trabalho. Ou você pode fazer isso de uma forma mais direta: Michael Ferguson, CEO da Rainmakers, recomenda(12) programar chamadas de vídeo, em vez de depender da comunicação por e-mail. "Isso aumenta a colaboração", diz ele. O fato de a equipe ver o profissional remoto, e ele ver a equipe, "é benéfico para uma colaboração eficaz, aumentando a produtividade, a eficiência e a inovação".

 


Daniel Mobbs é um jornalista do Reino Unido que escreve sobre negócios

Fontes:

(1) https://www.bizjournals.com/bizjournals/how-to/human-resources/2016/02/working-remotely-isn-t-right-for-everyone.html

(2) https://www.vanschneider.com/manage-time-remote-worker

(3) https://toggl.com/

(4) https://www.bc.edu/content/dam/files/centers/cwf/research/publications/
researchreports/Bringing%20Work%20Home_Telecommuting

(5) https://hbr.org/2018/02/how-to-collaborate-effectively-if-your-team-is-remote

(6) https://www.entrepreneur.com/article/289370

(7) https://skillcrush.com/2016/10/24/remote-work-tools/

(8) https://www.youtube.com/channel/UC4R8DWoMoI7CAwX8_LjQHig

(9) http://chimporchamp.com/

(10) https://hbr.org/2017/11/a-study-of-1100-employees-found-that-remote-workers-feel-shunned-and-left-out

(11) https://basecamp.com/

(12) https://hbr.org/2018/01/stop-neglecting-remote-workers